Pular para o conteúdo principal

A IMPORTANTE MISSÃO DE MÃE


“Todavia, será preservada através de sua missão de mãe, se elas permanecerem em fé e amor e santificação com bom senso” - (1ª  Timóteo  02: 15).

A história diz que dos 79 monarcas que subiram ao trono da França, apenas três puderam identificar-se bem com seu povo e amá-lo. O notável de tudo isto, é que esses três homens tiveram uma ligação profunda com suas mães.

Já um dos mais influentes pensadores grego do passado gostava de repetir que tudo de bom acontecido na sua vida, ele devia aos cuidados piedosos de sua mãe, que embora não tendo instrução nenhuma, conseguiu educá-lo nas duas maiores ciências: a virtude e a moral. Dizia ele: “nunca me esquecerei, pois foi ela quem fez germinar em mim o bem que sinto na alma”.

Hoje é o dia das nossas amadas mamães. E ser mãe é uma das mais belas expressões do  amor de Deus. Ser mãe é tratar-se de uma grande dádiva, um precioso presente do Pai.  É receber de Deus um dos mais nobres e sublimes dos dons. A mãe gera, traz vida e dá a luz.         


Nobre e singelo dom, porque não existe outra forma de gerar o homem a não ser do precioso ventre materno. Na verdade é receber também o mais puro e perpétuo dom, pois é a mãe quem concebe o ser humano que nasce para ser eterno (o homem é o ser da terra que não morrerá eternamente).   

Dizem até que cada criança que nasce no mudo é um lindo telegrama de Deus anunciando que ele ainda ama a mãe e o homem.

Não é fácil a missão de ser mãe, pois carregar filho é um grande peso; todavia, é também um grande e sublime privilégio.  

Esse peso acontece desde cedo, logo no início da gravidez. São nove meses de peso na barriga. Depois vem nascimento do filho, dor do parto, noites mal acordadas, cansaço físico, frustrações, renúncias, ingratidões.             

Mas, ser mãe não significa simplesmente colocar um filho no mundo, nem eximir-se de sua responsabilidade, repassando para outros como à empregadas, babas, parentes, amigos e creches à missão de cuidá-los. Todavia, com isto não estou dizendo também que a mamãe não vá precisar deixar sua criança na creche, com babas, etc. É evidente  que não se trata disto, especialmente neste mundo de correria de mundo pós-moderno. 

Entretanto, é comum encontrarmos mães e pais que infelizmente tentam substituir a educação dos seus filhos entregando a outros, ou simplesmente dando presentes. Filhos não querem só presentes (querem também), eles querem é a preciosa presença dos pais. Saibam, pois, que ninguém substitui o amor e o cuidado do pai e de uma mãe.     

É tão gratificante para a mamãe ver o filho que ela gerou, amamentou, cuidou e criou com tanto cuidado, crescido, disciplinado, formado, educado, bem posicionado e encaminhado na vida. Olha que não se tem coisa melhor do que isto para uma mãe.  

Mas, para isto requer que os pais paguem um preço. Como é honroso para as mães verem em seus filhos suas próprias virtudes. Como é alentador para uma mãe ser reconhecida por seus filhos como aquela que esteve ao seu lado nos momentos mais difíceis, corrigindo, formando, protegendo, consolando, animando e incentivando.      

Por isso mesmo que em todo e qualquer investimento, a fim de que o seu filho seja próspero, tem que se ter a boa e preciosa mão cuidadora de uma mãe.     

Na história encontramos exemplos de mães que foram fascinantes e exemplares, inclusive na educação dos seus filhos. O que não dizer, por exemplo, da educação de Suzana mãe de Jhon Wesley, com sua disciplina rígida, correção e exemplo para com o seu filho?

Jhon Wesley foi o pai do Movimento Metodista. Só se tornou num grande homem por causa das instruções e educação da sua mãe, já que o seu pai quase que não tinha tempo (isto não exclui o papel de qualquer pai na educação do filho).   

Poderíamos citar também o exemplo de Ana, grande mulher, mãe de Samuel.     

Diz-nos a Bíblia que ela orou por seu filho. Entregou e dedicou aquele menino ao serviço do Mestre. Reconheceu que seu filho era milagre de Deus. Ela viu naquele menino a mão bendita do Senhor.  

E quem nunca ouviu falar de Hudson Taylor, o grande missionário?

Num memorável dia, antes do nascimento de Hudson, seu pai procurou sua esposa para conversar sobre uma passagem das Escrituras que o im­pressionava profundamente.

Na sua Bíblia leu para ela uma parte dos capítulos de Êxodo e Números: "Santifica-me todo o primogênito... Todo o primogênito meu é... Meus serão... Apartarás para o Senhor..."

Os dois conversaram muito tempo sobre o gozo que es­peravam ter.

De joelhos entregaram seu primogêni­to ao Senhor, pedindo que desde já ele o abençoasse, e todos os dias, ao meio dia, a porta do quarto da sua mãe estava fechada, apesar das suas constantes e intensas obri­gações.

Isso trouxe grande influência sobre Hudson, pois sabia ele que em determinada hora sua mãe estava prostrada perante Deus para re­novar suas forças e abençoá-lo.

Também ao observamos a história de Joquebede encontramos a mesma lição. Ela foi uma grande mãe que ensinou, cuidou, educou e protegeu seu filho Moisés ainda quando bem criança.

Já Maria mãe de Jesus acompanhava o seu filho em todos os momentos; inclusive, até mesmo na hora do triste sofrimento.    

Que neste dia especial Deus possa abençoar a cada mãe, para que, compreendendo sua bela missão, nunca desfaleça, nem desista e nem desanime.  

Portanto, parabéns rainhas do lar, mulheres sábias, mestras do bem, falar do seu papel e valor como educadoras, se torna indescritível.

Vocês são as colunas fortes, espirituais de uma família, fontes inspiradoras para a conduta de muitos filhos.
Saibam vocês que uma grande mãe não é aquela que prende o seu filho, mas o ensina a desfrutar sua liberdade vivendo de forma correta e equilibrada.
Uma boa mãe não é aquela que vive apenas apontando os erros do filho, mas a que previne erros, por meio de bons conselhos.
Uma boa mãe não é a aquela que desiste facilmente dos seus sonhos, mas sempre estimula seus filhos a começar de novo.
Uma grande mãe é aquela que não procura o seu próprio brilho, mas trabalha para que seus filhos brilhem, sendo grandes servos de Deus.
E, finalmente, conta-nos que Evans Roberts com apenas 26 anos de idade, foi brilhante jovem, sendo usado por Deus para promover um grande avivamento no país de Gales.

A verdade é que pós aquele avivamento, muitos jovens convertidos lideravam inúmeras reuniões de oração. Bares e cinemas foram fechados, e até mesmo partidas de futebol e peças teatrais foram canceladas porque não se tinha mais público, nem jogadores, nem atores.

Por incrível que pareça, todos estavam nas Igrejas. Livrarias evangélicas venderam todo o estoque de Bíblia. Em muitos casos fregueses entravam nos bares, pediam bebidas,  depois davam meia-volta e saíam deixando os copos intocáveis no balcão, pois o sentimento da presença de Deus era tão forte, que praticamente paralisava o braço que ia levar o copo à boca.

Notem vocês que todo um país foi mudado para melhor, mas sabem por quê? Porque um jovem fez toda a diferença. Todavia, por trás daquele jovem estava sua mãe, que, por toda vida, sempre se preocupou em ensinar seu filho nos princípios cristãos.    

Sua família metodista desde cedo levava as coisas espirituais a sério. Ele converteu-se com treze anos de idade, viu o belo exemplo da sua amada mamãe.   
Desejamos que todas as mamães sejam de fato felizes, e canais das mais ricas bênçãos de Deus para os seus filhos.
Parabéns! Parabéns mamães neste dia especial.  
O amigo, Edinaldo Felipe dos Santos  

Comunidade Presbiteriana Videiras
                                                                                     Avenida Felipe dos Santos, 243, Cidade Nobre – Ipatinga (parede com o Pronto Socorro)
3825-4700; 3824-0007; 85172884

REUNIÕES:  
Domingo 09 e 19h.
Quarta 19h

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PRVA se multiplica

Na última Reunião Extraordinária ocorrida nos dias 25 e 26 de agosto nas dependências da IP Primavera o PRVA foi desmembrado, gerando assim o Presbitério de Timóteo. Na ocasião compareceu a comissão designada pelo Sínodo Vale do Aço, que teve como seu relator o Rev. Flávio.
As novas diretorias ficaram da seguinte forma:

Nota de Esclarecimento-IPB

Por conta de recentes acontecimentos e questionamentos, esclarecemos mais uma vez publicamente que a Igreja Presbiteriana do Brasil não é apolítica e faz parte da construção de uma sociedade digna a todo cidadão brasileiro, consciente da sua herança judaico-cristã-reformada, tem um compromisso histórico e ideológico com a democracia, entendida como a participação direta do povo nos seus destinos através do voto, de apoia-la e contribuir positivamente para o seu desenvolvimento no Brasil e no Mundo. Tem também um compromisso, fundamentado no amor ao próximo, (Lv.19.18) com a justiça social, com o bem estar do povo, com a eliminação da miséria e da pobreza, (Dt.15.4) com a igualdade dos homens em todos os lugares, níveis, situações, independentemente de sexo, idade, ou condição social individual. (Dt.16). Além do compromisso com o desenvolvimento e a manutenção da paz entre os homens, a promoção da harmonia e da concórdia, tanto no seio da Igreja, como da comunidade nacional. (Mt.5.9).

Senhor Pastor Supremo, Nosso Modelo de Pastorado

Estaremos refletindo de 07 a 08 reflexões sobre o pastoreio. Creio que será de grande importância para nós pastores (docentes) e presbíteros (regentes) que também são pastores. Nossa primeira reflexão fundamenta-se no salmo 23. O tema é: "Senhor Pastor Supremo, nosso modelo de pastorado." Razões:  Ele supre as necessidades de todas as ovelhas (v. 1). Ele apascenta as ovelhas, dá repouso, em segurança arrebanha as ovelhas (v. 2; cf. Is 40: 11).