Pular para o conteúdo principal

ENVOLVER PARA DESENVOLVER

Paz multiplicada!   
Jesus Cristo é o Senhor, e nós somos seus servos!  Ao servo cabe obedecer o que manda o seu Senhor. Jesus Cristo ordenou: “Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura...”!  Temos que ir, e não há outra opção! A desobediência é pecado e acarreta em graves conseqüências. Antes de comissionar os discípulos, o Senhor os discipulou, orientou, treinou e, inclusive, obteve deles relatório do trabalho realizado! Leia atentamente Lucas 9:1-6 e 10:1-20.
O método dado pelo Senhor Jesus e que veio a ser utilizado com grande êxito pela Igreja do primeiro século, foi o evangelismo porta-à-porta, de casa-em-casa. Leia atentamente Atos dos Apóstolos.

A ênfase no trabalho da Igreja Apostólica estava nos cultos nos lares, não havia templos! E a Igreja crescia a cada dia! Com o passar dos anos, e especialmente a partir do século IV com o Imperador Constantino, é que surgiram os templos... E com o advento dos templos, perdeu-se a ênfase para os cultos familiares.
Cremos que estamos chegando ao tempo do fim, e se assim é, esta geração terá que conseguir o que as outras gerações não conseguiram: - pregar o Evangelho por todo o mundo!
Então perguntamos: - como vamos fazer isto? Qual a melhor forma? Qual o melhor método para ganharmos almas para Cristo neste novo século?
Temos a plena convicção de que a estratégia de Deus para a Igreja do terceiro milênio, é o evangelismo de casa-em-casa, através de grupos pequenos, também denominados de células. Este é o método bíblico, dado pelo Senhor Jesus, utilizado no início da história da Igreja!
Com a onda de violência reinante no mundo, as pessoas vivem assustadas, ressabiadas, enclausuradas! Os edifícios e casas são fortalezas impenetráveis... Como alcança-los?
Somente através de grupos pequenos, formados por pessoas com laços de afetividade... Através de células de evangelismo, podemos penetrar nos edifícios, casas, mansões, fábricas, escritórios, hospitais, e qualquer outro lugar...
A Igreja do Senhor Jesus Cristo tem na UNIDADE uma de suas principais características. A UNIDADE expressa na KOINONIA entre os membros do Corpo foi, inclusive, motivo de fervorosa oração do Mestre querido ao Pai (João 17). Contudo, a Unidade da Igreja passa, necessariamente, pelo envolvimento entre os membros; e, aqui é que se encontra a maior dificuldade para que a Unidade se estabeleça.
Pelo que posso perceber, parece que há uma generalizada aversão pelo envolvimento. Não queremos nos envolver com os outros. Temos receio e, até mesmo, medo de fazê-lo. Vivemos a filosofia do Sacerdote e do Levita da parábola do Bom Samaritano: passamos de largo. (Lucas 10.30-35). “Cada um para si e Deus para todos”. Quero ficar quietinho no meu cantinho enquanto o mundo acontece ao meu derredor. Não me envolvo com ninguém e ninguém mexe comigo. Mas, por que não queremos nos envolver? Porque todo envolvimento tem um preço a ser pago. Porque todo envolvimento implica desgaste, tempo, dedicação, tolerância, paciência, emoção e, às vezes, frustrações. Porque todo envolvimento faz com que a gente se exponha. Contudo, precisamos sim, envolvermo-nos uns com os outros.
Não haverá unidade se não houver envolvimento. Somos membros de um mesmo corpo e os membros entre si, precisam cuidar uns dos outros, proteger uns aos outros, ajudar uns aos outros,...
A despeito de toda e qualquer dificuldade, envolvamo-nos uns com os outros. Envolvamo-nos sem exclusões. Envolvamo-nos com cada um e com todos. Com certeza, o envolvimento produzirá desenvolvimento e crescimento para nossas vidas e para a Igreja.
A VISÃO:    
Fazer de cada lar uma igreja, e de cada crente um discípulo discipulador, para ganhar nossa cidade, nossa nação para Jesus.
“Voltar aos princípios do primeiro século para enfrentar os desafios do último”.  Substituir estruturas que favorecem a acomodação pelas estruturas bíblicas que levam a frutificação!            “Cada lar uma igreja, cada crente um discípulo discipulador”.
O QUE ACONTECE QUANDO NÃO HÁ TRABALHO CELULAR?
Igrejas pequenas.  Pessoas não são pastoreadas como deveriam e gostariam.  As pessoas entram pela porta da frente e saem pela dos fundos.  Pastor carrega o trabalho.  O potencial de liderança não é aproveitado (uns poucos se perpetuam na liderança). Pessoas desmotivadas. A estrutura centralizadora favorece a acomodação. Crescimento lento.  Incapacidade de reprodução. Insatisfação (necessidades individuais não atendidas - falta de oportunidades).

VANTAGENS DE UMA IGREJA COM GRUPOS DE ESTUDO.
Todos serão líderes, ninguém é inativo. Relacionamentos fortalecidos. Cada membro é valorizado. Abre a oportunidade para que todos trabalhem, e não apenas alguns. Poder de evangelismo aumenta, pois se alcança pessoas que não viriam inicialmente à igreja. Outro ponto que facilita o evangelismo é o fato de se estarmos mais próximos das casas das pessoas. Estratégia para enfrentar tempos de perseguição. Através do discipulado o ensino passa por todos os membros da igreja, favorecendo a unidade na fé e na visão.
_________________________________________________________________________________________________________________________________
Comunidade Presbiteriana Videiras
Avenida Felipe dos Santos, 243, Cidade Nobre/ Ipatinga-MG.  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PRVA se multiplica

Na última Reunião Extraordinária ocorrida nos dias 25 e 26 de agosto nas dependências da IP Primavera o PRVA foi desmembrado, gerando assim o Presbitério de Timóteo. Na ocasião compareceu a comissão designada pelo Sínodo Vale do Aço, que teve como seu relator o Rev. Flávio.
As novas diretorias ficaram da seguinte forma:

Senhor Pastor Supremo, Nosso Modelo de Pastorado

Estaremos refletindo de 07 a 08 reflexões sobre o pastoreio. Creio que será de grande importância para nós pastores (docentes) e presbíteros (regentes) que também são pastores. Nossa primeira reflexão fundamenta-se no salmo 23. O tema é: "Senhor Pastor Supremo, nosso modelo de pastorado." Razões:  Ele supre as necessidades de todas as ovelhas (v. 1). Ele apascenta as ovelhas, dá repouso, em segurança arrebanha as ovelhas (v. 2; cf. Is 40: 11).

Nota de Esclarecimento-IPB

Por conta de recentes acontecimentos e questionamentos, esclarecemos mais uma vez publicamente que a Igreja Presbiteriana do Brasil não é apolítica e faz parte da construção de uma sociedade digna a todo cidadão brasileiro, consciente da sua herança judaico-cristã-reformada, tem um compromisso histórico e ideológico com a democracia, entendida como a participação direta do povo nos seus destinos através do voto, de apoia-la e contribuir positivamente para o seu desenvolvimento no Brasil e no Mundo. Tem também um compromisso, fundamentado no amor ao próximo, (Lv.19.18) com a justiça social, com o bem estar do povo, com a eliminação da miséria e da pobreza, (Dt.15.4) com a igualdade dos homens em todos os lugares, níveis, situações, independentemente de sexo, idade, ou condição social individual. (Dt.16). Além do compromisso com o desenvolvimento e a manutenção da paz entre os homens, a promoção da harmonia e da concórdia, tanto no seio da Igreja, como da comunidade nacional. (Mt.5.9).