Pular para o conteúdo principal

VIDA CRISTÃ AUTÊNTICA EM UM MUNDO DE MUITA DESIGUALDADE

Será que realmente o estilo de vida evidenciado pelos cristãos de hoje tem sido compatível com o projeto de Deus para sua igreja?

O estilo de vida nosso tem agradado o coração de Deus e de fato procurado ajudar essa sociedade tão necessitada e carente que vive diante de nós?  

Não nos esqueçamos que a presença do povo de Deus no mundo é para que os valores do reino do Pai sejam proclamados, vividos de maneira que a cultura cristã seja como o “fermento que leveda toda uma massa” (sociedade) a influenciando positivamente.  

Não podemos nos esquecer que a nova vida que o cristão experimenta, a partir da sua conversão a Cristo, traduzir-se-á com certeza, em um estilo de vida que seja diferenciado do mundo, conforme nos ensina a Palavra de Deus, em especial no Sermão da Montanha (Mateus 05).    

Mas, qual o estilo de vida certo que, como cristãos, devemos praticar?

Imagino que todos nós estamos chocados com a pobreza de milhões de pessoas que graça diante de nós, bem abalados pelas injustiças que nossa sociedade provoca, corrupção, imoralidade e violência.   

Infelizmente em nível de Brasil as coisas estão bem assustadoras: Greves de caminhoneiros. Recentemente saiu uma pesquisa em que me parece que o Brasil se tornou no País mais violentos do mundo (entre trânsito, droga, todo tipo de violência). Já se fala no preço do litro de gasolina de 5,00 (cinco) reais. Imoralidade em todos os sentidos, inclusive com a falta de ética para os valores da família. Muito grave a corrupção com desvios de milhões de dinheiro, a exemplo de Mato Grosso e Rio Grande do Norte, conforme reportagem no Fantástico de domingo passado (22 de Fevereiro), com muita gente passando fome, sem educaçção, saneamento básico, emprego e habitação.     

Dante de tudo isto e de muito mais, nós os cristãos temos sim a obrigação de desenvolvermos um estilo de vida simples, a fim de que haja uma contribuição bem mais generosa, tanto para a assistência social, como para a evangelização deste nosso Brasil e do mundo injusto.  

Precisamos levar o evangelho da cruz, da humildade, do sacrifício e do martírio. Estou plenamente convicto que vivemos nos finais dos tempos. São tantos cristãos que estão morrendo tendo seus pescoços decapitados, mas não negam Jesus, como presenciamos no domingo passado pelo Fantástico. Pelo que me parece, nesta semana de uma só feita prenderam mais de sessenta cristãos. Crianças estão sendo mortas. Infelizmente, em nome de um fanatismo religioso o (ei) estado islâmico, tem matado mesmo! Entretanto, o.lindo é que esses cristãos não negam a fé no nome de Jesus.    

Quando vejo isto eu faço um paralelo com a nossa realidade atual. Vivemos num País livre e muitos de nós cristãos temos grande dificuldade até de participarmos dos trabalhos das nossas comunidades,  enquanto muitos cristãos em outros lugares estão se reunindo escondidos e levando suas Bíblias também às escondidas, mas estão lá particpando. Precisamos ter um cristianismo autêntico, inclusive que vive a humildade, pois Cristo é nosso grande modelo de humildade. Abriu mão de todos os privilégios que tinha. Identificou-se com os homens em suas necessidades, vivendo sem ostentação alguma, tão somente com objetivo de servir aos outros. Morreu como se fosse um criminoso, malfeitor. Levo seu caminho até o fim e por isso Deus o exaltou, dando-lhe um nome que está acima de todos os demais nomes, diz-nos a Escritura em Filipenses capítulo 2.

Portanto precisamos ter vida de santidade, de simplicidade, de altruísmo, na aceitação do projeto de Deus para nós, na evangelização de uma estratégia que facilite a pregação da Palavra, inclusive com os pequenos grupos. De sermos cristãos que bradem contra a injustiça, contra a imoralidade, contra a corrupção, levando a mensagem avante no objetivo de mudar esta sociedade deturpada que se encontra diante de nós, pois foi para isto que Cristo veio e fez. Foi para isto também que o Filho nos comissionou.

Edinaldo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PRVA se multiplica

Na última Reunião Extraordinária ocorrida nos dias 25 e 26 de agosto nas dependências da IP Primavera o PRVA foi desmembrado, gerando assim o Presbitério de Timóteo. Na ocasião compareceu a comissão designada pelo Sínodo Vale do Aço, que teve como seu relator o Rev. Flávio.
As novas diretorias ficaram da seguinte forma:

Senhor Pastor Supremo, Nosso Modelo de Pastorado

Estaremos refletindo de 07 a 08 reflexões sobre o pastoreio. Creio que será de grande importância para nós pastores (docentes) e presbíteros (regentes) que também são pastores. Nossa primeira reflexão fundamenta-se no salmo 23. O tema é: "Senhor Pastor Supremo, nosso modelo de pastorado." Razões:  Ele supre as necessidades de todas as ovelhas (v. 1). Ele apascenta as ovelhas, dá repouso, em segurança arrebanha as ovelhas (v. 2; cf. Is 40: 11).

Nota de Esclarecimento-IPB

Por conta de recentes acontecimentos e questionamentos, esclarecemos mais uma vez publicamente que a Igreja Presbiteriana do Brasil não é apolítica e faz parte da construção de uma sociedade digna a todo cidadão brasileiro, consciente da sua herança judaico-cristã-reformada, tem um compromisso histórico e ideológico com a democracia, entendida como a participação direta do povo nos seus destinos através do voto, de apoia-la e contribuir positivamente para o seu desenvolvimento no Brasil e no Mundo. Tem também um compromisso, fundamentado no amor ao próximo, (Lv.19.18) com a justiça social, com o bem estar do povo, com a eliminação da miséria e da pobreza, (Dt.15.4) com a igualdade dos homens em todos os lugares, níveis, situações, independentemente de sexo, idade, ou condição social individual. (Dt.16). Além do compromisso com o desenvolvimento e a manutenção da paz entre os homens, a promoção da harmonia e da concórdia, tanto no seio da Igreja, como da comunidade nacional. (Mt.5.9).